VIDEOARTE - Coletivo PapaImagem

País: Brasil

Ano: 2015

Duração: 01:26 min

Fragmentos do poema de Sylvia Plath

 

Encomendei esta caixa de madeira

Está trancada, é perigosa.

Tenho de passar a noite com ela e

Não consigo me afastar.

Como deixá-las sair?

É o barulho que mais me apavora,

As sílabas ininteligíveis.

Podem ser devolvidos.

Podem morrer, não preciso alimentá-los, sou a dona.

Não sou uma fonte de mel.

Por que então recorrer a mim?

Amanhã serei Deus, o generoso - vou libertá-los.

 

A caixa é apenas temporária.

País: Brasil

Ano: 2015

Duração: 01:53 min

Fragmentos do poema de Sylvia Plath

 

Encomendei esta caixa de madeira

Está trancada, é perigosa.

Tenho de passar a noite com ela e

Não consigo me afastar.

Como deixá-las sair?

É o barulho que mais me apavora,

As sílabas ininteligíveis.

Podem ser devolvidos.

Podem morrer, não preciso alimentá-los, sou a dona.

Não sou uma fonte de mel.

Por que então recorrer a mim?

Amanhã serei Deus, o generoso - vou libertá-los.

 

A caixa é apenas temporária.

País: Brasil

Ano: 2015

Duração: 01:31 min

Entrega total a um amor. O olhar da  câmera percorre os saltos de sapatos, pelo chāo, em alegoria de entrega e submissão. As imagens sāo da obra Dama, da artista Lúcia Avancini. Baseado nas poesias de Ana C.

País: Brasil

Ano: 2014

Duração: 05:02 min

O vídeo é baseado em um poema de Sylvia Plath, "Espelho". O envelhecimento do corpo de uma mulher é contado pelo olhar do espelho. Um personagem exato e frio. Dia após dia, reflete as angústias, os lamentos e perdas que não compreende. Não se considera cruel, apenas verdadeiro. 

 

Ator João Guilherme  

Participação Lúcia Avancini

1/4

Please reload

 Videoarte